Desde 1978 informando sobre Produtos Industriais
  • Home
  • Categoria: noticias

Atlas Copco traz ao mercado novas bombas de vácuo isentas de óleo

A DHS 065 e a DHS 100 trazem mais qualidade na produção de vácuo, com até 50% menos consumo de energia

A Atlas Copco, líder em soluções de sustentabilidade, traz ao mercado de bombas de vácuo a DHS 065 VSD+ e a DHS 100 VSD+, suas novas tecnologias de parafuso isentas de óleo. A primeira com velocidade de bombeamento de 65 m³/h, enquanto a última apresenta velocidade de 100 m³/h. As novas soluções prometem maior ciclo de vida e produtividade, com consumo de energia reduzido.

“A tecnologia VSD+ é o que garante uma redução de até 50% no consumo de energia do DHS065-100”, explica André Vinicius Barros, gerente de negócios de vácuo, na Atlas Copco. “As novas bombas ainda apresentam modelo compacto, simples e com operação silenciosa de, no máximo, 69 dB”.

As novas tecnologias Atlas Copco são ideais para utilização em processos de limpeza e secagem, embalagens de alimentos, ensacamento a vácuo, transporte pneumático e processos de tratamento de esgoto, banheiros e arraste de água.
Além do mais, graças a uma gama de tecnologias avançadas, as novas bombas de vácuo são certificadas pelo Instituto TUV como Classe 0 – o que garante vácuo de alta qualidade e isento de óleo.

SOBRE ATLAS COPCO
A Atlas Copco é uma fornecedora líder mundial de soluções de produtividade sustentável. O Grupo atende aos clientes por meio de seus inovadores compressores, soluções a vácuo, geradores, bombas, ferramentas elétricas e sistemas de montagem. A Atlas Copco desenvolve produtos e serviços focados em produtividade, eficiência energética, segurança e ergonomia. A empresa foi fundada em 1873 e tem sede em Estocolmo, na Suécia, com alcance global que abrange mais de 180 países. Em 2017, a Atlas Copco teve receita de € 9 bilhões, contando com aproximadamente 34 mil funcionários em todo o mundo. Saiba mais em www.atlascopcogroup.com.

SOBRE VACUUM TECHNIQUE
A Vacuum Technique, área de negócios da Atlas Copco, fornece soluções de vácuo, sistemas de gestão de exaustão, válvulas e outros produtos. Os principais mercados de atuação da empresa são os de semicondutores e científicos, incluindo a indústria de processos químicos, embalagem de alimentos e processamento de papel. A Vacuum Technique possui uma rede de serviços globais e aposta na inovação de produtividade sustentável para melhorar a performBance de seus clientes. As principais unidades de desenvolvimento e fabricação estão localizadas no Reino Unido, República Tcheca, Alemanha, Coreia do Sul, China e Japão.

Informações para Imprensa: imprensa.atlascopco@agenciarace.com.br

Brasil pode se tornar o maior produtor de biodiesel no mundo

Uso de antioxidante evita perdas no processo produtivo

O Brasil abre oportunidades de crescimento no biodiesel e pode se transformar em um dos maiores produtores no mundo. O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) aprovou no início de novembro, o cronograma de expansão da mistura do biodiesel ao diesel no país. A proposta estabelece que a adição de biodiesel cresça um ponto percentual ao ano, passando do atual patamar de 10% (mistura B10) para 11% (mistura B11) em junho de 2019. O processo continua sucessivamente e a ampliação será realizada até março de 2023, quando todo o biodiesel comercializado ao consumidor final conterá 15% de biodiesel. De acordo com o CNPE, a estimativa é que a produção do biodiesel brasileira passe de 5,4 para mais de 10 bilhões de litros anuais, entre 2018 e 2023. Um aumento de 85% da demanda doméstica.

“É uma grande oportunidade para toda a cadeia de produção – que por sinal é extensa – desde transporte, termoelétricas, agronegócios, entre outros. O uso do biodiesel nos processos produtivos é uma necessidade emergente. Desta forma, reduziremos muito o efeito estufa no mundo e agregaremos mais valor em toda a cadeia”, comenta o gerente de negócios para biodiesel da Camlin Fine Sciences (CFS) para América do Sul, Federico Sakson.

O biodiesel é um óleo vegetal gerado a partir de óleos de gorduras vegetais e animais. De acordo com a ANP – Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – cerca de 70% do biodiesel produzido é feito de óleo de soja, 17% de gordura animal (sebo) e os demais de outras matérias-primas como o óleo de cozinha usado e óleo de semente de algodão. É derivado de uma fonte renovável, portanto, reduz a dependência e preservação de petróleo; biodegradável; diminui as emissões de gases tóxicos e possui uma boa lubrificação.

Alerta aos produtores de biocombustíveis com a oxidação – Uma das maiores preocupações que a cadeia produtiva tem sinalizado é a conservação do produto final, para que resista ao tempo de estocagem sem se oxidar até chegar ao consumidor final.

Para Sakson, a estabilidade à oxidação é um parâmetro crítico que deve ser controlado periodicamente durante a produção e o armazenamento para evitar perdas econômicas, dado que o movimento do produto dentro das refinarias e a exposição ao oxigênio nas transferências e o bombeamento reduz o tempo de indução. Para garantir a estabilidade e qualidade do biodiesel é essencial o emprego do antioxidante. “Eles podem ser aplicados, na forma líquida – para facilitar o manuseio e a dosagem – na linha de produção, ao fluxo de saída do processo, em biodiesel acabado ou em um tanque de agitação leve ou recirculação por bomba. Um detalhe importante, proporcionam baixa viscosidade e estabilidade à baixa temperatura”, explica Sakson.

O Xtendra BL traz em sua composição uma combinação entre um antioxidante e um agente quelante de metais que juntos possuem um efeito sinérgico no retardamento da oxidação, podendo ser usado em diferentes concentrações e aplicados em diferentes substratos (óleos e gorduras). “São produtos que não oferecem danos nos motores internos e combustíveis, porque são formulados com um sistema de solvente não inflamável e de baixa toxicidade, além do seu alto desempenho”, alerta.
De acordo com as normas brasileiras e internacionais, o biodiesel deve suportar oito horas sob condições extremas de temperatura no teste de Rancimat. Caso não haja esta estabilidade é imprescindível a aplicação do antioxidante. “A CFS do Brasil oferece o serviço de teste com o equipamento RANCIMAT (Metrohm) para avaliar a performance do produto e o tempo de indução. Nossos antioxidantes sintéticos nas versões Xtendra BL 100 e Xtendra BL 200, ou seja, 30% e 40% de princípio ativo, já comprovaram sua eficiência e estabilidade à diversos testes realizados”, complementa Sakson.

Mercado promissor: Várias iniciativas estão voltadas para criar um mercado sustentável em todas as esferas produtivas. De acordo com a NTU – Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos – a frota de ônibus urbano no Brasil é de aproximadamente 107 mil veículos. Se toda a frota utilizasse o B20, o Brasil deixaria de emitir 2 milhões de toneladas de CO2 por ano. “Outra vantagem é que os veículos não necessitam de alterações nos motores para utilizar o biocombustível”, ressalta Sakson.

Além de preservar o meio o ambiente, tem se tornado uma fonte de geração de novos empregos e renda. De acordo com a União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio), somente nos primeiros quatro meses de 2018, foram criados mais de 23.500 mil empregos diretos no interior de São Paulo (Ribeirão Preto, Sertãozinho e Piracicaba) na indústria e comércio do setor. Outro dado interessante é que na produção de biodiesel em média 30% da matéria-prima tem origem na agricultura familiar. Em 2017, de acordo com a Ubrabio, foram movimentados no país cerca de R$ 4 bilhões com a comercialização de produtos vindos da agricultura familiar que atua no setor de biocombustíveis.

Conforme a APROBIO, se as previsões de crescimento econômico e de maior uso de biodiesel forem mantidas no país, os investimentos no setor podem chegar a R$ 22 bilhões até 2030. Só no período entre 2016 e 2018, o biodiesel contribuiu com geração de R$ 90 bilhões em Produto Interno Bruto (PIB), mais de 200 mil empregos e evitou a emissão de 20,4 milhões de CO2 na atmosfera.

Camlin Fine Sciences (CFS) é um fornecedor de ingredientes de aroma de alta qualidade, antioxidantes e produtos químicos de alto desempenho. Atendemos diversos segmentos: alimentos, alimentos para animais de companhia, fragrâncias, nutrição animal, aquacultura, indústria de graxaria, biocombustíveis, além de produtos farmacêuticos, tintas, petroquímicas, agroquímicos, têxteis e curtume. Para mais informações, visite www.camlinfs.com.
assessoriadeimprensa@lncomunicacao.com.br

Braskem confirma participação na Plástico Brasil 2019

Está confirmada a participação da Braskem na Plástico Brasil 2019 – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center (Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 – São Paulo – SP).
Maior produtora de resinas das Américas, com produção anual de 20 milhões de toneladas, incluindo produtos químicos e petroquímicos básicos, a presença da Braskem amplia as oportunidades de negócios e networking para transformadores e demais elos da indústria.

“Entendemos a importância e relevância da feira. Participar mais uma vez da Plástico Brasil é uma grande satisfação para nós”, informa Edison Terra, vice-presidente da unidade de Poliolefinas, Renováveis e Europa da Braskem.

“A Braskem está com a Plástico Brasil desde a edição inaugural, em 2017. Seu formato diferenciado de participação aproxima ainda mais a empresa dos atuais parceiros e de novos contatos”, lembra Liliane Bortoluci, diretora da Informa Exhibitions.
A chegada da Braskem reforça o posicionamento da Plástico Brasil como uma feira que engloba todos os segmentos da cadeia de plástico: matérias-primas e resinas, máquinas, equipamentos e acessórios, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos e muitos outros produtos, serviços e soluções. Serão mais de 600 marcas nacionais e internacionais – entre eles, os principais players de seus segmentos – apresentando seus lançamentos em primeira mão ao mercado brasileiro.

Sobre a Braskem
Com uma visão de futuro global, orientada para o ser humano, os 8 mil Integrantes da Braskem se empenham todos os dias para melhorar a vida das pessoas, criando as soluções sustentáveis da química e do plástico. É a maior produtora de resinas das Américas, com produção anual de 20 milhões de toneladas, incluindo produtos químicos e petroquímicos básicos, e receita líquida de R$ 50 bilhões em 2017. Exporta para Clientes em aproximadamente 100 países e opera 41 unidades industriais, localizadas no Brasil, EUA, Alemanha e México, esta última em parceria com a mexicana Idesa.

Sobre a Plástico Brasil
Iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a Plástico Brasil 2019 se consolidou como o maior e mais completo evento do setor na América Latina já na segunda edição.

São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais das indústrias da borracha, construção civil, alimentos e bebidas, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, entre outros, que vislumbram na Plástico Brasil a melhor oportunidade para se modernizar e competir num mercado em ascensão.

REALIZAÇÃO
ABIMAQ – A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos representa cerca de 7.500 empresas dos mais diferentes segmentos fabricantes de bens de capital mecânicos, cujo desempenho tem impacto direto sobre os demais setores produtivos nacionais e está estruturada nacionalmente com a sede em São Paulo, nove regionais e um Escritório Político em Brasília. Muito além da representação institucional do setor, a ABIMAQ tem a sua gestão profissionalizada e as suas atividades voltadas para a geração de oportunidades comerciais para as suas associadas, realizando ações junto às instâncias políticas e econômicas, estimulando o comércio e a cooperação internacionais e contribuindo para aprimorar seu desempenho em termos de tecnologia, capacitação de recursos humanos e modernização gerencial.

A ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química é uma entidade sem fins lucrativos fundada em 16 de junho de 1964, que congrega indústrias químicas de grande, médio e pequeno portes, bem como prestadores de serviços ao setor químico nas áreas de logística, transporte, gerenciamento de resíduos e atendimento a emergências. A associação realiza o acompanhamento estatístico do setor, promove estudos específicos sobre as atividades e produtos da indústria química, acompanha as mudanças na legislação e assessora as empresas associadas em assuntos econômicos, técnicos e de comércio exterior. A entidade ainda representa o setor nas negociações de acordos internacionais relacionados a produtos químicos.

A Informa Exhibitions cria comunidades e conecta pessoas e marcas em todo o mundo e, aliando as entregas de suas feiras com uma nova estratégia digital, gera oportunidades e relacionamentos 365 dias por ano. Com escritórios em São Paulo (sede) e Curitiba e cerca de 200 profissionais, a empresa conta em seu portfólio com marcas como Agrishow, Fispal Tecnologia, Fispal Food Service, ForMóbile, Futurecom, ABF Franchising Expo, Serigrafia SIGN FutureTEXTIL, Feimec, Expomafe, Plástico Brasil, High Design Home & Office Expo, entre outros, totalizando 21 eventos setoriais. No mundo, atua em 150 escritórios em 57 países e é líder em inteligência de negócios, publicações acadêmicas, conhecimento e eventos, com capital aberto e papéis negociados na bolsa de Londres.

PLÁSTICO BRASIL – Feira Internacional do Plástico e da Borracha
Data: 25 a 29 de março de 2019
Horário: Das 10h às 19h
Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center (Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 – São Paulo – SP)
Realização: ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química.
Promoção e organização: Informa Exhibitions
Apoio: Euromap – European Plastics and Rubber Machinery
Patrocinador oficial: Romi
Expositores: mais de 600 marcas nacionais e internacionais
Setores: máquinas; equipamentos e acessórios; matérias-primas e resinas; moldes e porta moldes; automação industrial e robótica; periféricos; entre outros produtos, serviços e soluções.
Público: em torno de 45 mil visitantes/compradores
Entrada: profissionais do setor mediante credenciamento online (o credenciamento pode ser feito no site https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html)
Mídias Sociais: facebook.com/plasticobr
Mais informações para imprensa redacao.jota@ppagina.com

2019: O ano da virada!

Por Liliane Bortoluci

Embora abaixo do ritmo esperado, o crescimento do PIB no ano passado e neste comprovam que a economia brasileira estancou a sangria dos anos 2015 e 2016. Mais que isso, preparou o terreno para que 2019 represente o ano da virada e da consolidação de um novo e virtuoso ciclo.

O Relatório Focus divulgado no apagar das luzes de novembro vislumbra um horizonte otimista. As 100 instituições financeiras ouvidas pelo Banco Central mantiveram a expansão da economia em 2,50% para o próximo ano, reduziram a expectativa da inflação de 4,20% para 4,12% e a da taxa de juros Selic de 8,0% para 7,75%. Já o investimento estrangeiro direto no Brasil previsto para 2019 é de US$ 76 bilhões – ante US$ 75,35 do relatório divulgado no mês anterior.
São números realistas, praticáveis, e que colocam o Brasil de volta ao jogo. E, ao contrário dos últimos dois anos, o ambiente político oferece condições mais favoráveis para que isso aconteça. A alta popularidade de governantes recém-eleitos, a escolha de um economista com viés liberal para o ministério da Economia e a renovação de 52% da Câmara dos Deputados, bem como de 85% do Senado, criam as condições para que reformas fundamentais, como a Tributária e a da Previdência, sejam finalmente aprovadas.

Esse conjunto de fatos tende a devolver a confiança a investidores e empresários, que se sentem mais seguros para ampliar seus parques fabris, aumentar a produção, contratar e capacitar capital humano.

Sondagem da Confederação Nacional da Indústria (CNI) revelou que a confiança dos empresariado industrial em novembro é a mais alta em oito anos. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) alcançou 63,2 pontos, maior valor desde setembro de 2010, seis pontos acima do registrado em novembro de 2017 e nove pontos acima da média histórica.
Essa confiança é reflexo da melhora efetiva da atividade industrial. Ainda segundo a CNI, o índice de evolução da produção passou de 47,2 pontos, em setembro, para 54,7 pontos em outubro. “Ao ultrapassar a linha divisória de 50 pontos, o índice, que mostrava queda da produção, passou a registrar crescimento. Esse aumento da produção entre setembro e outubro supera o observado no mesmo período de 2017”, diz a Sondagem Industrial da entidade.

Do lado da indústria brasileira de máquinas e equipamentos, as notícias são igualmente animadoras. Segundo a ABIMAQ, o faturamento do setor de janeiro a outubro deste ano foi de R$ 65,1 bilhões, 7,7% superior ao mesmo período de 2017.

Aliadas à recente recuperação, medidas anunciadas pelo poder público beneficiam diretamente uma das indústrias mais fortes do País, a automobilística, e, por consequência, a de bens de capital mecânicos. É o caso, por exemplo, do decreto que regulamenta o programa Rota 2030, que cria incentivos fiscais de até R$ 2,1 bilhões por ano para que as montadoras invistam em tecnologia e desenvolvimento de produtos. O programa ainda reduz em até 3% o IPI de carros Flex e até 2% o dos demais veículos, desde que cumprido o índice de eficiência dos automóveis fabricados.

Estratégica para o desenvolvimento da indústria, a ferramentaria acaba de ver reconhecida uma antiga demanda para liberação dos créditos do ICMS das montadoras e autopeças do Estado de São Paulo. O crédito para as empresas que exportam, antes retido pelo governo, voltam para serem investidos em ferramentaria, o que vai possibilitar a geração de empregos e o desenvolvimento de novos produtos.

A indústria brasileira de máquinas e equipamentos tem todas as condições para atender a esta nova demanda, com tecnologia equivalente à oferecida pelos grandes players mundiais, preços competitivos, atendimento especializado e customização das soluções.

Por tudo isso, não hesitamos em dizer que 2019 será o ano da virada para a indústria nacional. É neste contexto e com esta expectativa que vamos realizar as feiras Plástico Brasil (25 a 29 de março) e Expomafe (7 a 11 de maio). Todos nossos esforços estão no sentido de reunir nestes espaços, de um lado, os grandes fornecedores nacionais e internacionais, e, de outro, milhares de empresários industriais que querem – e precisam – investir, ampliar e modernizar em suas plantas. Destes encontros, sairão os negócios, parcerias e networking tão necessários para que o Brasil volte a crescer.

Liliane Bortoluci é diretora da Informa Exhibitions, promotora da Plástico Brasil – Feira Internacional do Plástico e da Borracha e da EXPOMAFE–Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Automação Industrial.
Mais informações para imprensa redacao.jota@ppagina.com